DEMET

A ideia da criação de uma Escola de Mineralogia e Metalurgia no Brasil surgiu em 1803, devido à necessidade de se estabelecer no país, estudos mineralógicos e metalúrgicos que, no entendimento do Imperador D. Pedro II, viria a preencher uma lacuna importante na formação de especialistas brasileiros, nesse campo da ciência. Foi Claude Henry Gorceix quem, em 1876, concretizou aquela ideia. Segundo Gorceix, o objetivo da então chamada Escola de Minas era “a formação de homens e profissionais competentes, com conhecimentos científicos não só relativos à exploração do solo, como também aos trabalhos metalúrgicos. Os alunos deveriam ser capazes de resolver problemas cujas soluções dependam das teorias expostas no curso, de modo a desenvolver neles o espírito inventivo, sem o qual haverá esterilidade na ciência, com ênfase na criatividade e no desenvolvimento do espírito de investigação”.

O Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais (DEMET) foi criado a partir do curso de Engenharia Metalúrgica na Escola de Minas em 1957, sendo parte integrante da Universidade Federal de Ouro Preto (criada em 1969). Da estrutura do Curso Geral, o presente Curso guarda como característica o forte inter-relacionamento com os outros cursos – Minas, Geologia e Civil, além dos mais recentes (Produção, Ambiental, Controle e Automação e Mecânica), sem se descuidar da assimilação de outras técnicas e ferramentas, buscando permanentemente a atualização.

O Curso de Engenharia Metalúrgica da Escola de Minas tem formado profissionais que têm atuado no parque industrial nacional e internacional, assim como em ensino e pesquisa, e tem sofrido, ao longo de períodos, reformulações que o atualizam de acordo com necessidades novas de aprendizado, adaptação ao mercado e de aperfeiçoamento.

Do ponto de vista de recursos humanos e infraestrutura laboratorial, o DEMET tem registrado contínua evolução, como pode ser verificado neste site. Os nossos laboratórios são usados intensamente nas atividades de ensino (graduação e pós-graduação), pesquisa (incluindo iniciação científica, desenvolvimento tecnológico, pós-graduação), prestação de serviços e desenvolvimento tecnológico (conforme legislação vigente) e extensão.

Administração

A administração do DEMET é representada por sua Chefia, responsável por fazer deliberações ou representações em nome do Departamento e buscar providências para as demandas internas.

Chefe: Professor Rodrigo Rangel Porcaro

E-mail: chefe.demet.em@ufop.edu.br

Telefone: (31) 3359-1106

Vice-chefe: Philipe Silva Cardoso de Castro

E-mail: vicechefe.demet.em@ufop.edu.br

Telefone: (31) 3559-1561

Secretário: Philipe Silva Cardoso de Castro

E-mail: secretaria.demet.em@ufop.edu.br

Telefone: (31) 3559-1561

Campos de atuação

Envolve todas as áreas relacionadas à obtenção, processamento e aplicação de materiais, sobretudo as ligas metálicas. Além disso, o Metalurgista pode trabalhar em Pesquisa e Desenvolvimento, Ensino, análise de falhas de componentes metálicos, gestão de
empresas, dentre outras.
O Engenheiro Metalurgista é um Profissional que pode atuar durante todo o ciclo de vida de um produto metálico. Como exemplo, veja o diagrama abaixo, todas as etapas podem envolver a atuação destes profissionais. Neste exemplo, de uma roda ferroviária, pode-se observar as etapas desde a obtenção e processamento da matéria prima (minério de ferro neste caso), passando por todos os processos de obtenção do aço em uma usina siderúrgica e a sua conformação inicial (produção do aço e sua laminação), a seleção das propriedades e microestruturas adequadas, a etapa de fabricação do componente (manufatura, que também pode envolver tratamentos térmicos) e a inspeção do produto final. Durante o seu uso, o Engenheiro Metalurgista também pode atuar na garantia de integridade estrutural, com inspeção não destrutiva e outras técnicas para garantir a segurança. Em caso de falha, como mostrado no diagrama abaixo, o Engenheiro Metalurgista é o Profissional mais adequado para analisar o que ocorreu e propor melhorias de modo a reduzir a ocorrência de novas falhas. Ao final da vida útil do produto, pensando-se em economia circular e sustentabilidade, o Metalurgista ainda poderá trabalhar na cadeia que envolve a reciclagem.

Evidentemente, nenhum Engenheiro Metalurgista terá condições de atuar em todas as etapas mostradas, mas são campos possíveis de atuação que são abordados durante o curso. Além disso, o trabalho em Equipe é fundamental para garantir os melhores resultados.

O diagrama é somente ilustrativo, mas o seu conceito pode ser expandido para outros produtos metálicos, por exemplo, produzidos com ligas de alumínio, ligas de cobre, ligas de magnésio, dentre muitas outras possibilidades.

Abaixo são apresentados exemplos de Empresas que contratam Engenheiros Metalurgistas no Brasil: 

Obtenção de materiais (minérios ou sucata), refino, processamento: Samarco, Vale, Anglo American, Usiminas, Gerdau, CSN, CST, CSP, Companhia Brasileira de Alumínio, Alcoa, Alcan, Nexa, ArcelorMittal, AngloGold Ashanti, Vallourec Sumitomo Tubos do Brasil, Aperam, Mineração Caraíba, Atlantic Nickel, Indústrias Nucleares do Brasil, Petrobras, Albras.

Conformação e aplicação de metais: são Empresas que realizam processos de conformação, incluindo fundição, soldagem, trefilação e outros processos para indústrias de mineração, óleo e gás, automotiva, construção civil, dentre outros. Além disso, há empresas que aplicam os materiais em projetos de diversas áreas da Engenharia. Embraer, Teksid, Fundição Tupy, Usiminas Mecânica, Aethra Componentes Automotivos, Petrobras, ESAB, Soluções Vallourec, Estaleiros Navais, Tenaris Confab, Sapura Navegação Marítima.

Consultoria: INDG, Instituto Falconi, McKinsey, Tecmetal, HSBC, BNDS.

Ensino e Pesquisa: Universidades Públicas e Privadas, SENAI, Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear, Instituto de Estudos Avançados IEAv.

Além de todos os exemplos citados acima, há muitas outras oportunidades relacionadas à chamada “mineração urbana” e outros temas de sustentabilidade, como a obtenção de terras raras e metais preciosos a partir de sucatas eletrônicas e reciclagem de baterias. A transição energética também traz necessidades de novos materiais e campos de atuação para Engenheiros Metalurgistas em projetos de usinas eólicas, usinas solares, dentre outros.

A grade curricular está na imagem abaixo. Maiores detalhes podem ser obtidos no arquivo Manual do Estudante de Engenharia Metalúrgica.

 

Grade Demet

https://www.ciadeestagios.com.br/vagas/alcoa/

Tentando oferecer uma solução para os problemas técnicos e fornecer um banco de dados que abrange um número suficientemente grande dos cientistas… saiba mais em: http://em.ufop.br/index.php/ultimas-noticias/386-escola-de-minas-tem-dois-professores-na-lista-dos-cientistas-mais-influentes-do-mundo

Fale Conosco

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.